Free and Open Source Softwares

Este post baseia-se no artigo Free and Open Source Software for Translators, escrito por Corinne McKay, publicado em 2006.

Em que se baseiam os Free and Open Source Softwares?

Os Free and Open Source Softwares (FOSS) são programas que têm o seu código-fonte aberto ao público e dão uma maior liberdade de utilização. Estes programas são conhecidos devido ao seu baixo custo, à sua flexibilidade, rentabilidade e segurança. Todas as suas licenças dão uma grande liberdade ao usuário, sendo que a sua licença mais comum é a Licença Pública Geral GNU, que permite ao usuário:

  • Instalar o Software em quantos computadores desejar;
  • Copiar o Software e o forneça a qualquer pessoa;
  • Utilização de qualquer número de pessoas ao mesmo tempo;
  • Modificar o Software, desde que algumas funções permaneçam intactas;
  • Distribuir gratuitamente o Software ou vende-lo sem pagar royalties ao seu criador.

Relevância dos FOSS para os tradutores

Os tradutores trabalham a tempo inteiro num computador e a maioria são trabalhadores independentes que assumem o custo total de manter e actualizar seus próprios programas de computador, que muitas vezes têm um custo considerável. Os tradutores também usam, ou gostariam de usar, versões específicas de idiomas em software que são muitas vezes difíceis de encontrar em distribuições proprietárias, sendo que com os FOSS é bastante fácil criar versões de outras línguas.

Muitos tradutores estão, contudo, relutantes em passar para os programas de código aberto porque:

  • Muitos estão mais preocupados com a tradução em si do que com as ferramentas para a tradução;
  • Normalmente os tradutores não sabem muito sobre os FOSS e não têm noção das opções disponíveis;
  • Muitos têm receio que ao utilizarem os FOSS percam clientes, pois receiam que ao utilizarem um programa diferente do cliente que este não pretenda trabalhar mais com o tradutor, visto que muitos clientes preferem que os tradutores trabalhem com um programa em específico;
  • Muitos dos CDs que contém dicionários não funcionam no Linux;
  • Os programas de memória de tradução mais conhecidos não têm versões para o Linux.

Agora passo a dizer algumas das razões pelas quais os tradutores deviam/podem considerar usar programas de código aberto:

  • Os programas de código aberto são rentáveis. Em muitos casos, o tradutor não terá necessidade de pagar preços elevados por um software, pelas suas actualizações, etc.;
  • Incentiva a inovação;
  • As licenças são menos restritivas. Ao contrário de alguns programas que só deixam instalar o programa num computador, sendo que para quem tem um portátil e um pc fixo tem de comprar duas cópias pelo preço total.

Para os tradutores a grande vantagem destes programas são claramente os seus custos, visto que adquirir um software FOSS é mais barato e algumas actualizações são grátis, ao contrário de outro tipo de programas em que adquirir o programa já é bastante dispendioso, assim como todas as suas actualizações. Para além desta vantagem existe uma outra, que na minha opinião é igualmente importante, que é o facto de poder traduzir um programa para várias línguas e poder vendê-lo sem pagar royalties ao criador do programa original.

 

Carina Félix

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s